Você já sabe que o mundo mudou. E que a escola, como conhecemos, precisa de outra proposta para acompanhar os novos tempos.

Essa é a nossa convicção há mais de30 anos: autonomia, liberdade, escolha, decisão, respeito. Palavras-chave que nos renderam o título de uma das 18 escolas transformadoras no Brasil pelo Instituto Ashoka e pela Alana. Pelo Mec, estamos entre as 178 escolas como modelo de inovação e criatividade educacional.

Acreditamos que o desenvolvimento de projetos individuais e coletivos, as tutorias, as matérias eletivas, os fóruns de participação como a assembleia, entre outras ações, são diferenciais que fazem da nossa escola um exemplo reconhecido de educação inovadora. Por tudo isso, o Colégio Viver foi considerado, em 2015, uma das 21 escolas transformadoras no Brasil (e uma das 280 no mundo) pela Ashoka, organização global de empreendedorismo social, e pelo Instituto Alana, ONG brasileira em defesa da criança.

Também no mesmo ano foi reconhecido pelo MEC como uma das 178 instituições e escolas que são referências como de inovação e criatividade na educação. Tudo isso com alegria e acolhimento, num ambiente seguro e em meio à natureza.

O Colégio Viver nasceu em 1998 como continuidade do Viver Escola, unidade de Ensino Infantil que havia sido criada na década de 70 por 4 educadoras, entre elas Anna Maria Pereira, que foi também fundadora da nova instituição, bem como sua gestora. Juntou-se a ela nessa nova instituição de ensino Colégio Viver fundamental a socióloga Maria Amélia M Cupertino.

O Ensino Fundamental no Colégio Viver organizou-se de forma seriada, sendo que entre 1998 e 2006 foram agregadas ano a ano uma série, até que se tivesse o ciclo completo. Entretanto, essa organização seriada foi

desde o início restrita a parte do tempo no cotidiano escolar, já que nos projetos, nas semanas temáticas e em outros momentos os estudantes se organizam por outros critérios, sobretudo por interesse e tema.

Anna Maria e Maria Amélia formularam um projeto pedagógico bastante ousado, antes de mais nada por não seguir um modelo único, mas se abrir à influência de vários educadores e escolas (de Paulo Freire à Reggio Emilia, passando por nomes como Dewey, Freinet, Piaget, Neill, entre tantos) , principalmente no que se refere à centralidade da motivação, às metodologias ativas e às visões democráticas e humanistas.

Quer conhecer um pouco mais sobre cada um que colabora com a construção do nosso colégio? Eles estão com a palavra.

O Colégio Viver está situado em uma área verde de mais de 5 mil metros, possui corpo docente altamente qualificado, além de salas pequenas, priorizando sempre o olhar para cada indivíduo.

Respeitamos a coletividade e incentivamos a participação nas decisões da escola, tanto dos estudantes e corpo docente, quanto das famílias. Acreditamos na liberdade de escolha, na atenção para os aspectos da convivência e da formação de valores.

Estr_box_infant

Em um espaço amplo e em meio à natureza, o Viverzinho oferece infinitas possibilidades de experimentação de seu espaço físico.
No Viverzinho as crianças descobrem e aprendem brincando, desenvolvendo-se naturalmente, com criatividade, respeito e autonomia.

Estr_box_fund

O Colégio Viver, apelidado de Viverzão, forma carinhosa de diferenciar os espaços físicos (Viverzinho e Viverzão), oferece um espaço amplo e um convite aos instintos mais aventureiros das crianças maiores. Tem árvore para escalar, morro para escorregar, quadra para praticar e descobrir diversos esportes e suas regras, biblioteca com acervo de qualidade, laboratório de informática, laboratório de ciências, sala de música, varanda para artes, espaço natureza, refeitório e uma infinidade de opções para tornar as aulas flexíveis e dinâmicas.

Estr_box_medio

O Colégio Viver disponibiliza todos os seus espaços físicos e recursos para que os projetos individuais e coletivos, que surgem no Ensino Médio, tenham total suporte para crescerem e se materializarem, de forma que o estudante tenha sempre a liberdade de escolher seu caminho, criar suas trilhas principais e paralelas, estabelecer seus próprios objetivos parciais e finais, assim como suas metas de aprendizagem e estudo contando sempre com o suporte e acompanhamento periódico do tutor e dos professores de área.